Formada em Cinema pela PUC-Rio, Julia Stockler trabalha como atriz, autora e diretora.
Cria da escola de teatro O Tablado, protagonizou o seriado “Só Garotas”, no canal Multishow, dirigido por Maria Flor. Recebeu prêmios de melhor atriz pelo curta "Sobe Sofia", de André Mielnik, “Gaydar” de Felipe Cabral, e pelas cenas “Cacilda” e “Borboletas” no FESTU- Rio. Participou dos longas- metragem “Amazônia Caruana”, de Tizuka Yamasaki; “Mate-me por favor”, de Anita Rocha da Silveira; e de “A Vida Invisível”, de Karïm Ainouz, como uma das protagonistas. Participou da série “Gilda”, dirigida por Gustavo Pizzi para o Canal Brasil, e da série “Jungle Pilot”, do Universal Channel.
É autora das peças “O que acontece quando a coisa acaba”, junto com Claudia Sardinha; “Vem, Meteoro”, com Pedro Kosovski; e “Boa Noite, Professor” com Lionel Fischer.  
É professora de teatro, juntamente com Lionel Fischer, do teatro O Tablado.

Seus mais recentes trabalhos como atriz no teatro são “Casarão ao Vento”, direção de Marco André Nunes; “Parei de ser Fôlego”, de Emanuel Aragão; o infantil “Patrícia Piolho”, dirigido por Morena Cattoni; a performance “Torre”, de Anna Costa e Silva; “Música para cortar os pulsos”, de Rafael Gomes; “Nora”. de Diana Herzog; “Branca”, de Ivan Sugahara, e o infantil “TãoTão” de Pedro Kosovski. Ganhou o prêmio de melhor atriz no Zilka Salaberry 2017 pelo espetáculo TãoTão. Dirigiu o espetáculo “Fábrica de Cachorros”,
com texto da Renata Corrêa, que estreou em 2018 na Casa Rio.

Julia Stockler

 

© 2018 by Diversa Produções